O Problema e a Solução

Major Maurício Vieira Izumi

09/05/2016


Roubos, prisões, salvamentos, a missão diária da polícia é resolver problemas. E o 39º Batalhão da Polícia Militar do Interior (39BPMI) se deparou com um problema inusitado, um problema de matemática. Diante das dificuldades para resolver sua lição de casa, Eric não teve dúvidas e seguiu o conselho de sua mãe que sempre disse: “Filho, sempre que tiver problemas procure alguém da polícia”.

 

Missão dada, é missão cumprida. O desafio foi resolvido prontamente por três policiais do batalhão que se juntaram ao menino e fecharam as questões. Mas por trás dessa “ocorrência” simples, existe uma situação mais complexa. “A comunidade em que esse menino vive é muito violenta”, declara Major Maurício Vieira Izumi.

 

Diante dessa situação, o Major Izumi, junto com o comando da PM local, tomou a decisão de iniciar uma operação de infiltração e de permanência das tropas no bairro. “Montamos uma base da polícia lá dentro da comunidade e hoje os índices de criminalidade caíram muito”.

 

O subcomandante

O major Izumi é subcomandante do batalhão. Iniciou a carreira na Polícia Militar em 1989. Os primeiros 15 anos na corporação foram dedicados ao Corpo de Bombeiros. “Com os colegas de equipe fiz muitos resgates. Uma das experiências que mais me entristeceu, mas também me preparou para a profissão, foi encontrar uma criança sem vida em um incêndio. É duro quando não conseguimos salvar. Pior ainda quando é com criança”, recorda.

 

Izumi se tornou capitão e integrou equipes de área da PM, atuando em Mogi das Cruzes, Santos e São Vicente. Em 2015, participou ativamente das negociações para o resgate dos familiares do jogador de futebol Robinho, sequestrados no litoral paulista.

 

Com formação em direito e psicologia, Izumi desenvolveu uma visão ampla sobre o papel da polícia na sociedade. Esse perfil permitiu que a equipe do batalhão desenvolvesse trabalhos além do ostensivo.

 

O auxílio nos estudos do menino Eric, as mobilizações para festas na comunidade e o atendimento ao público passaram a fazer parte do trabalho realizado naquele local. “Não é nossa atividade fim, mas penso que uma maneira de minimizar problemas de segurança passa pelo bom trato social, pela atenção destinada às pessoas, mostrando, principalmente aos mais jovens, que a polícia não é violenta. A polícia age com energia, quando precisa. A polícia age com sensibilidade, quando precisa”, encerra.

 



Major Maurício Vieira Izumi
A missão diária do policial é resolver problemas, seja a lição de casa de uma criança ou implementando uma base da polícia em uma comunidade violenta



Compartilhe essa história para condecorar esse

História de Fibra

Outras histórias de Heróis de Fibra